2 de nov de 2014

Mudanças

"Sei que meu trabalho é uma gota no oceano, mas sem ele, o oceano seria menor". Madre Tereza


Me sinto aflita, por diversas vezes e, até mesmo fora de idade ou contexto quando vejo pessoas perderem minutos em crítica, porque o mundo tá "um caquinho de vidro" - viva a paráfrase! - mas ora, já que estou aqui, e da minha vida nada posso oferecer, vamos permanecer. Um brinde à inércia. Muito confortável achar que está tudo absolutamente truncado ou que a vida não tem nada exponencialmente grandioso quando a gente não trabalha para que esses pormenores absolutos venham a tomar forma e se espalhem como sementezinhas de dentes-de-leão incansáveis.

Eu sou potencial e possibilidade e muito além do que isso, sou aquilo que quero e minha vontade me permite alcançar.

Vejo muita gente elogiando e promovendo páginas de ONGs, falando do trabalho bonito e altruísta de outras pessoas e não sendo melhor do que clichê ao dizer que "o mundo precisa de gente assim". Mas e aí?

Vou falar uma coisa. Melhoria começa dentro da casa da gente. Se orgulho é coisa que ainda impera na sua fala e - dói reconhecer isso? - então não queira ser hipócrita dizendo que o mundo precisa melhorar.

É fácil ser agressivo ou sem educação. Quero ver quem consegue dar a cara a tapa quando outra pessoa fala alguma ignorância ou age por impulso ferindo nossa vaidade. Não to falando em ser passivo, mas ser suficiente sábio pra entender e não julgar impulsos.

Mas se você acha que isso tudo é difícil demais e que os obstáculos são muitos, não vá criticar a forma como as coisas se desenvolvem na sociedade em que você está inserido.

Você é co-autor de tudo o que acontece em menor ou maior extensão, uma vez que uma pequena atitude sua muda um dia inteirinho de uma pessoa e que isso vai transcorrer num ciclo em que ela vai afetar outras e outras pessoas...