2 de out de 2014

Cubos de açúcar


Não sei se vocês já sentiram um pouco de marasmo ao pensar no quanto ainda vocês precisarão passar ou se sou uma sofredora por antecipação absoluta. O fato é que o motivo dessa ansiedade muitas vezes me deixa um pouco encabulada com meus dias presentes e ansiosa por alguns momentos em que determino mentalmente como essenciais. Não sei a relevância disso tudo, afinal, já não é atoa que segundo que é segundo passa devagarinho e gotejante. Mas não importa. Não importa a receita agora porque o que vale é o bolo depois; Ou não importa o bolo depois porque vale melhor a próxima receita e etcétera .Já que parece um pouco cansativo essas indas e vindas de sentidos projetados, mas deveria ser igualmente fácil não articulá-las de forma tão operante em nosso subconsciente.

Eu ando muito bem, obrigada. Claro que com minhas dorezinhas e com minhas possibilidades boas e não, não tão legais assim. Mas a pesar de me consumir pelo próximo cubo de açúcar antes que que o primeiro privilegie meus sentidos, estou caminhando bem na medida da minhas criatividade ao longo do que posso fazer por mim ou do que preciso realmente fazer sem que para isso haja interesse.