25 de dez de 2012

Fantasiando

Algumas coisas tem me feito pensar insistentemente em detalhes aos quais não consigo evitar de notar. Uma delas, comentei mais cedo no meu twitter é mostrar-se como você realmente não sente, ou seja, criar máscaras e personagens.
Ilustração: Hanuol
Acredito firmemente na melhora moral das pessoas e que isso é louvável; tenho fé em sentimentos bondosos e puros e sei que muita gente bonita acalenta eles por aí , nem que seja por um minutinho. Mas daí a passar a demonstrar o que você realmente não sente instantaneamente é outra conversa. 
Vamos delimitar uma coisa. Todo mundo pode melhorar e, crescer é absurdamente doloroso... isso porque amadurecimento e sensibilidade envolvem mudança de hábitos cristalizados que são invariavelmente difíceis de se modificar. Afinal, ninguém vira "Madre Teresa" da noite pro dia, okay?
Reforma íntima é um assunto delicado e que merece atenção. Sou -e não escondo isso em momento algum- Espírita. E essa é uma forma de sentir e crer que me direciona inegavelmente emocionalmente. Há uma autora em especial que se chama Ermance Dufaux que me cativa sinceramente. O que ela diz? Coloca-nos que crescimento é algo que envolve PRINCIPALMENTE aceitação do que você é e sente. Dizer que você não quer sentir é simplesmente estar estagnado. Negar sentimentos é, infelizmente, desacreditar de você...
Estou dizendo isso para justificar o por quê de eu trazer esse assunto aqui. 
Conheço muita gente que adota comportamentos de algo que gostariam de ser e que não são. Vamos combinar que querer ser alguém diferente de você, certamente é um caminho breve à depressão. 
Então, retomando o blog, trago um apelo para o ano que  vai começar à todos vocês que por aqui passarem!Não insistam em fantasiar o que vocês não são. Trabalhem para conquistar bons hábitos comportamentais, mas com certeza de que isso dói e de que vai demorar mudar. Querer parecer dá muita, muita dor de cabeça.
É meu desejo pra todos vocês :)
Luv ya.